Ministério Público investiga precariedades na saúde, educação e assistência social em Guarabira

MP abriu um inquérito civil para investiga as condições precárias na saúde, educação e assistência social na Prefeitura de Guarabira. O inquérito civil é coordenado pela promotora de Justiça Paula da Silva Camillo Amorim, da promotoria do município de Guarabira.

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) instaurou um inquérito civil para investigar as condições precárias na saúde, educação e assistência social da Prefeitura de Guarabira. A promotora de Justiça Paula da Silva Camillo Amorim, da promotoria local, está à frente da coordenação do inquérito. A abertura da investigação foi anunciada no Diário Oficial da instituição na edição desta quarta-feira (22).

Segundo informações obtidas pelo ClickPB, as denúncias destacam as condições precárias nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Sítio Itamay, Rosário e Primavera, nos Centros de Atenção Psicossocial (CAP) e no Centro Maria Moura. Além disso, há relatos sobre a falta de uniformes escolares e a precariedade dos kits escolares, bem como as más condições da escola localizada no Sítio Itamaraty e da creche do Sítio Carrasco.

O Ministério Público também aponta a falta de utilização do “Castra Móvel”, que estava inoperante na garagem da prefeitura e teria realizado apenas algumas castrações. O órgão fiscalizador já solicitou esclarecimentos à Prefeitura de Guarabira e estabeleceu um prazo para que o município apresente sua defesa em relação às denúncias formalizadas. Caso as determinações não sejam cumpridas, a prefeitura poderá responder por crimes de improbidade administrativa.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Homem morre vítima de atropelamento na Rua São Manoel, em Guarabira

Inmet emite alerta amarelo para municípios do Brejo com risco potencial de acúmulo de chuvas

Em pré-campanha, Rinaldo e Anderson debatem propostas para a juventude de Pirpirituba